terça-feira, 20 de novembro de 2018

O sonho açoriano

Começamos a fazer planos concretos para conhecer as nove ilhas açorianas, depois de conhecer São Miguel no passado mês de Junho, e quem sabe mudar o plano de viver na Ilha da Madeira na reforma (quando ela chegar, perto dos 80 anos...). Temos um país extraordinário, com produtos nacionais com relação qualidade/preço muito interessante, a que só faltam talvez os meios de outros países para um marketing  mais forte. Mas ainda mais encantador e especial assim: melhor do que overrated. Estivemos nas passadas semanas em apresentações relacionadas com queijos açorianos e é só mais uma prova do património incrível destas ilhas, em que a gastronomia é só um início. Nomeadamente, estivemos a conhecer melhor o Queijo de São Jorge DOP, nos seus diferentes tempos de cura, um queijo duro e seco; e o novo queijo em fatias da Milhafre dos Açores, que já conhecíamos em queijo curado, um queijo mais mole e que pede mais frutas para acompanhar. Este está agora disponível em formato inteiro, em formato de porção de 350gr e ainda em fatias cremosas com embalagens que se podem fechar, sem necessidade de usar um tupperware. Durante algum tempo fugi do queijo mas com moderação e bons produtos não há porque fugir.






segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Festival Míscaros na 10ª edição

Para mim, da Beira Baixa, cogumelos durante muito tempo eram designados por míscaros. Com um misto de fascínio e algum receio, pelo Outono havia sempre alguém que oferecia "o petisco" dos cogumelos. Há uns anos fizemos um passeio micológico na serra da Estrela para saber um pouco mais sobre este mundo dos cogumelos.

A aldeia do Alcaide, no Fundão, prepara-se para a 10ª edição do “Míscaros - Festival do Cogumelo”, nos próximos dias 16, 17 e 18 de novembro. Em plena Serra da Gardunha, o festival promove o património de cogumelos a nível nacional, onde se encontram mais de 300 espécies, destacando os míscaros. O programa inclui gastronomia, exposições, workshops, passeios micológicos, live cookings (com Chakall, Joe Best, Miguel Gameiro, Mário Rui Ramos, Rodrigo Alves e Duarte Batista e João Mata) e animação de rua, este ano subordinados ao tema do mistério. No novo espaço de degustação - o Mercado da República -, poder-se-ão provar pratos dos chefs, com vinhos, cocktails e cervejas artesanais, num sistema de fichas. Ao todo, serão cerca de 60 as tasquinhas típicas da aldeia e há ainda um espaço para crianças, a Miscolândia, com educação ambiental. Este ano, o destaque é um mega almoço de arroz de cogumelos, no Domingo, dia 18. 



O evento é organizado pela Liga dos Amigos do Alcaide, em conjunto com a Câmara Municipal do Fundão e a Junta de Freguesia do Alcaide, e tem preocupações ambientais (todo o material utilizado é biodegradável e de produção com baixo consumo energético) e sociais (este ano será apoiada a CLR Project, uma ONGD de intervenção humanitária e social em Portugal e África, sobretudo com crianças).

O evento do Facebook está aqui.


terça-feira, 16 de outubro de 2018

[Wishlist] Philips Airfryer XXL


A Philips lançou uma Airfryer com uma capacidade superior, de 1,4kg, para famílias ou para quem quer cozinhar em maiores quantidades. Mas a nova edição também vem com uma tecnologia nova (Twin TurboStar, chama-lhe a marca) que permite que não só se cozinhe com pouca ou nenhuma gordura, mas também que a própria gordura dos alimentos seja removida, ficando depositada no fundo do tabuleiro através de uma rede. Os alimentos ficam assim mais crocantes e saudáveis. Ainda tem uma função para manter os alimentos quentes durante 30 minutos.



PVP: €329,99

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Superintestino

Há alguns anos já que sigo a americana Kimberly Snyder, que fala muito da importância da saúde do "gut", dos intestinos. Por cá tivemos um certo burburinho quando foi traduzido para Português A Vida Secreta dos Intestinos, da alemã Giulia Enders - e que, aliás, está reeditado com dois capítulos novos. Mas foi lançado este ano um livro por uma jovem nutricionista portuguesa, a Maria Inês Antunes, dedicado a explicar melhor como funciona o intestino e como o podemos fazer funcionar melhor a nosso favor. Além de muito instrutivo num estilo acessível, o livro - como o nome Receitas para um Superintestino indica - inclui 60 receitas, bastante bem ilustradas. Distribuem-se pelas diferentes categorias, como os prebióticos e os probióticos, oferecendo várias opções. Nem todas são rápidas, é certo, mas são muito bem explicadas. E acho que em todos os casos o importante é saber os benefícios e procurar soluções que existem no mercado, como o kéfir da Vigor (com sabor a manga maracujá é muito saboroso!) e o kimchi do Celeiro, que fomos partilhando no Instagram. No fundo, dá muitas ideias para procurar maior equilíbrio e sobretudo reforçar defesas e construir o bem-estar a partir de dentro.

https://www.wook.pt/livro/receitas-para-um-superintestino-maria-ines-antunes/21717319?a_aid=4f71cbb715e32

Poderá interessar: algumas dicas para reduzir a formação de gases no intestino

domingo, 14 de outubro de 2018

Chutnify Me

Não é só que Lisboa esteja na moda. Lisboa está a tornar-se uma cidade internacional, com cada vez mais estrangeiros a fixar-se na cidade (e região). Tenho precisamente uma colega nova que veio dos Estados Unidos e que escolheu Lisboa depois de ter vivido em vários outros países, que me fez companhia a experimentar o novo serviço de almoços do Chutnify, no Príncipe Real (pouco acima da bela Praça das Flores). Já há bastante tempo que queria conhecer o restaurante, mas sabem aquele efeito de que os turistas aproveitam mais as coisas novas do que os residentes, não é? Foi um pretexto óptimo para uma pausa a meio da semana corrida, embora o serviço seja todos os dias da semana.


Escolhemos e partilhamos um Thali de ovos de codorniz e Dosa de batata doce, mais por escolha minha de evitar o mais picante do que da minha amiga, que já esteve na Índia e tem um palato habituado a picante. É uma opção também para vegetarianos. Os sabores condimentados dos ovos, das lentilhas ou o fresco a salada de tomate misturam-se bem com os refrescos, uma limonada com gás ou um lassi de manga, e o ambiente era tranquilo e arejado, sem cheiros demasiado fortes que por vezes associamos a restaurantes indianos. No Thali vem logo a tapioca, pouco doce, para rematar a refeição e nos devolver ao bulício da cidade.



 
Chutnify
Travessa da Palmeira, 46 - Príncipe Real, Lisboa


segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Barritas energéticas

Setembro é um mês... intenso, para dizer o mínimo. O regresso à rotina, o calor, muitas e inesperadas despesas. Se calhar foi por isso que a Comissão Europeia escolheu este mês para promover a mobilidade, na óptica do que é sustentável para o ambiente e também para as carteiras das famílias. A propósito disso, a Renault promoveu uma iniciativa com destaque para o seu carro eléctrico como parte de um estilo de vida sustentável em que aparece também a alimentação. As receitas estiveram a cargo da Tia Cátia, com uma energia e boa disposição contagiantes, com o ponto em comum de ficarem num total de  €1,30 a unidade (o valor que o modelo Zoe precisa para fazer 100km...), e nós destacamos umas barritas energéticas muito saborosas! Segundo a própria Cátia e como pudemos comprovar, são bastante nutritivas e uma unidade dá bem para lanche da manhã e da tarde.




A receita...

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Vinho da casa

Tentamos criar as nossas bolhas de conforto numa cidade que está a crescer e a mexer rapidamente, encontrar as nossas estratégias para procurar a calma - mas nunca li sobre mindfulness e não o pretendo fazer -, sabemos com quem contar. Não foi há muito tempo que combinar algo, mesmo ao fim-de-semana, era arriscado porque não se sabia o nível de cansaço ou mesmo de trabalho para esses dias, mas as probabilidades eram de que fosse alto.

Por isso, um jantar durante a semana com amigos é mais do que isso. A sugestão veio do Lidl e é de se ficar duplamente agradecido pelo pretexto de conhecer a selecção de vinhos portugueses que têm nas lojas, agora a cargo da especialista de vinhos Maria João de Almeida. Alguns são exclusivos, e para este jantar escolhemos o Adega de Vila Real Vinho Tinto Douro DOC e o Espírito do Côa Vinho Branco, este com a assinatura do enólogo Rui Reboredo Madeira que é uma assinatura que me ajuda sempre a escolher, a um excelente preço. O primeiro recebeu vários prémios e não desiludiu. Mesmo sem perceber muito de vinhos, consegue-se escolher a diferentes níveis de preço (os Azinhaga de Ouro têm uma excelente relação qualidade/preço), sem stress.


Até Domingo, 23 de Setembro, o Lidl promove a Semana do Vinho que dá destaque aos melhores vinhos portugueses.

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Cuidados alimentares durante vaga de calor

A Direcção Geral de Saúde e a Protecção Civil têm emitido muita informação para os cidadãos, em termos de prevenção e cuidados a ter durante a vaga de calor que estamos a atravessar neste Agosto, depois de um Junho e Julho estranhamente frescos... A ingestão de água está, claro, no topo das recomendações.


Tastemade.com

Assim, as recomendações gerais de alimentação para os dias de calor são:
  1. "Mantenha-se bem hidratado mesmo que não sinta sede. Aumente a ingestão de água e infusões sem adição de açúcar ao longo do dia;
  2. Dê um sabor saudável à sua bebida. Pode aromatizar a sua água, de forma natural, adicionando um pedaço de fruta (limão, laranja, lima…), hortícolas (pepino…), especiarias (canela…) ou ervas aromáticas (hortelã…);
  3. Opte por alimentos sólidos que são ricos em água como frutos e hortícolas, cozinhados ou em cru;
  4. Coma sopa para se hidratar. É a forma mais segura de hidratação no verão, podendo sempre optar pelas suas versões frias (p.ex.: gaspacho);
  5. A água é portátil. Lembre-se de ter sempre consigo uma garrafa de água, em particular quando se desloca (praia, exercício, viagem de automóvel…);
  6. Evite bebidas alcóolicas, excessivamente açucaradas ou com cafeína, em particular no Verão. Em vez de hidratarem contribuem para a perda de água. Além disso, o alcool em excesso é um forte agressor do sistema hepático;
  7. Monitorize a sua ingestão de água. A cor da urina pode ser um marcador do nosso estado de hidratação. Esta deve ser abundante, incolor e inodora;
  8. Faça refeições leves e mais frequentes e evite refeições pesadas e muito condimentadas. Escolha locais com uma boa oferta de bebidas saudáveis;
  9. Acondicione e transporte os alimentos mais perecíveis (queijo, iogurtes, marisco, ovos, etc.) em geleiras, sacos ou malas térmicas com cuvetes de gelo ou placas frias para manter a temperatura. Uma infeção alimentar aumenta perigosamente o risco de desidratação;
  10. Vigie os familiares de risco, em particular as crianças e incentive os amigos a beber água ao longo do dia e no local de trabalho. O mau humor e o bom desempenho cognitivo têm muito a ver com uma hidratação adequada!"

E as recomendações específicas para viagens:
  1. - Beber água. Quando estamos desidratados a nossa capacidade de atenção e reação está diminuída.
  2. - Opte por alimentos práticos e de fácil consumo. Os frutos oleaginosos (noz, amêndoa, amendoim, pinhão, avelã) são uma excelente opção, pois fornecem energia de qualidade, prolongam o período sem fome, são saborosos e ocupam pouco espaço.
  3. – Prefira alimentos que não se alterem com o calor, como o pão (mistura ou integral), frutos oleaginosos, a fruta lavada e até fruta seca (alperces, figos secos…).
  4. – Pré-prepare os alimentos para comer enquanto viaja. Lave a fruta, separe os bagos das uvas, faça sandes mini, tenha guardanapos suficientes, pense em quem vai comer e adeque as porções. Lave bem as mãos antes de iniciar a preparação. Se fizer as sandes na noite anterior, guarde tudo no frigorífico.
  5. – Evite molhos (maionese, natas), gelatina, cremes (creme de ovos, chantilly), marisco, quiches, empadas ou folhados que poderão facilmente alterar-se com o calor e apresentar risco microbiológico.
  6. Alimentos mais perecíveis (queijo, fiambre, iogurtes, etc.) devem ser acondicionados em geleiras, sacos ou malas térmicas com cuvetes de gelo ou placas frias para manter a temperatura.
  7. – Antes da viagem, verifique se tem o automóvel em lugar fresco, ar condicionado em boas condições e o telemóvel carregado.
  8. – Faça uma pequena refeição antes de iniciar a sua viagem. Evite passar longos períodos sem comer, especialmente se as viagens forem longas.
  9. – Aproveite as paragens para esticar as pernas e beber água. Faça alguns alongamentos. Se estiver muito calor evite estar ao ar livre. Arrume a comida em lugar protegido do calor e de fácil acesso ao longo da viagem.
  10. – Evite totalmente qualquer bebida alcoólica. O álcool aumenta o risco de desidratação e retira a capacidade de reação.
  11.  

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Recursos naturais

Passou o período mais longo sem escrever no blog, agora está tudo nas redes e o tempo e a motivação escasseiam, mas em período de férias há finalmente oportunidade de voltar aqui. Nestes interregnos, há algumas marmitas, algumas refeições em casa e cada vez mais a tentativa de reduzir nas embalagens, não propriamente com lojas completamente a granel mas mesmo em superfícies comuns. Porque a juntar a isto temos tentado procurar bons alimentos mas não ir à falência, e está tudo cada vez mais caro (talvez já tenha dito isto por aqui). Na altura da crise, quando este blog começou, eram os rendimentos que diminuíam mas os preços nem subiam muito; agora acho que os rendimentos estão iguais mas tudo está a subir! 

(tofu com pesto, massa integral, abacate e peixinhos da horta e curgete em polme)
 
Ontem as notícias davam conta de que se assinalava o dia no ano em que o planeta esgota os seus recursos naturais para o ano completo. Cada acção conta, e as recomendações da associação ambientalista Zero passam por:
- apostar numa economia circular onde efetivamente a utilização e reutilização de recursos é maximizada;
- reduzir o consumo de carne e peixe, cuja produção envolve elevados consumos de energia, e o desperdício alimentar;
- procurar a maior eficiência energética.

O livro da Béa Johnson e a sua conta de Instagram são uma óptima inspiração!


terça-feira, 5 de junho de 2018

A gastronomia de caça

Algumas das minhas memórias de infância passam pela Feira de Agricultura de Santarém. Todos os anos, com o tempo já quente, no final do ano lectivo, me recordo de ver os animais, máquinas e muitos stands em visita com os meus pais; recordo-me de voltarmos a casa cansados e com muitos brindes, de haver muita gente e de furarmos para conseguir ver tudo. Depois 'cresci', vieram os meses de Junho com exames, depois Junho passou a ser altura de férias, depois passou a ser mês de muito trabalho e não voltei à feira. Vinte anos depois, volto à Feira, a convite da Associação Nacional de Proprietários Rurais, para conhecer mais sobre a carne de caça. A prática da caça está sujeita a regras para respeitar os períodos de reprodução dos animais e o equilíbrio do ecossistema (por exemplo, nesta altura do ano não há caça de perdiz), mas falou-se mais nas características da carne, que é muito menos gorda do que a de produção, seja industrial seja biológica, e que requer cuidados específicos de preparação. O chef Giorgio Damásio recorreu às suas memórias de Itália e explicou que a carne de caça 'de pêlo' é normalmente marinada com ervas e especiarias como zimbro, aipo e vinho tinto, enquanto a carne 'de pena' usa vinho branco. Provamos um paté de veado com pimenta preta e um ravioli com carne de veado, e chouriço de javali e um lombo de javali com cogumelos. Para quem não caça, há restaurantes que encomendam a distribuidores como a Prazeres do Campo para preparar estas iguarias que estão em linha com o que hoje em dia se procura: o mais natural.






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...